10 julho 2006

Febril

Ontem era só uma moínha na garganta. Durante a noite, a moínha cresceu e transformou-se numa indiscutível dor. Hoje, doi-me o corpo todo e tenho a cabeça pesada. Mas confesso que gosto deste estado. Em que a cabeça pesa, mas os pensamentos são leves, descontrolados.

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

e isso dá direito a não ir trabalhar?

12:32 da tarde  
Blogger Joana said...

Não, claro que não... Estou aqui, firme e hirta a trabalhar como se não houvesse amanhã...

12:41 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

beiiijossssssss amoreeeeee, põe-te boa! eu amanheci c a alma meia constipadota, mas a coisa tem vindo a melhorar ao longo do dia graças tb aos raizitos de sol q vêm aí desse lado, pelos vistos, "fisicamente" constipado!
obrigada ao duo-maravilha J + S em mil línguas outra vez, por quererem correr c as minhas nuvens à bofetada. (ta-me a dar p o sentimento, confesso ;) )
*ucha*

6:05 da tarde  
Blogger mitro said...

Masoquista!

6:08 da tarde  
Blogger Joana said...

BabUcha se boltas a dizer the "o" word em qualquer língua, juro que me passo da cabeça (do que resta dela, tenho o mê Vanderlei em água). Acho mal a puxar ao sentimento... Tou fragilizada. Quase que chorei...

6:18 da tarde  

Publicar um comentário

<< Home

FREE hit counter and Internet traffic statistics from freestats.com